Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Pioneer

Sexta-feira, 06 de setembro de 2019

Vencedores do PER 2018 realizaram viagem técnica à Colômbia para conhecer modelos inovadores de produção

A dupla Roni Clei Zanovello e Criz Renê Zanovello de Guarapuava ficou em segundo lugar no concurso do PER 2018

A Colômbia está de portas abertas para o desenvolvimento. O país vizinho assumiu lugar de destaque no cenário econômico da América Latina e, nos últimos anos, tornou-se território fértil de oportunidades para novos negócios, por meio de políticas públicas e outras iniciativas que fomentam o empreendedorismo. Esse foi o fio condutor que permeou a viagem técnica do Programa Empreendedor Rural (PER) 2018, criado em 2003, em uma parceria entre Sistema FAEP/SENAR-PR, Sebrae-PR e a PER Fetaep. Anualmente, o Programa premia os três melhores projetos, sendo que os autores participam da viagem técnica.

Neste território de perspectivas promissoras, os vencedores do PER 2018 tiveram a oportunidade de conhecer os sistemas produtivos e aspectos inovadores da agricultura colombiana. Entre os dias 23 e 30 de agosto, o grupo realizou visitas a propriedades rurais e agroindústrias locais para conhecer as iniciativas empreendedoras do país.

Na viagem, estavam presentes os irmãos André e Adriano Facin, de Céu Azul, na região Oeste, cujo projeto “Melhoria nos custos de produção da atividade de frango de corte” conquistou o primeiro lugar no concurso 2018. Outra dupla de irmãos, Criz Renê Zanovello e Roni Clei Zanovello, de Guarapuava, no Centro-Sul, levou medalha de prata, com o projeto “Desenvolvimento de um sistem a integrado de produção agropecuária aplicado ao Sítio Zanovello”. A presença feminina ficou por conta da jovem Aline Borges, de Rondon, no Noroeste, que desenvolveu o projeto “Produzir batata-doce irrigada – Realizando um sonho em família”, conquistando o terceiro lugar na premiação. O grupo foi acompanhado pelo supervisor do SENAR-PR da regional de Matelândia, Francisco Pelição.

“A viagem foi excelente e atendeu a expectativa de todos, principalmente pela história de inovação da Colômbia. O país tem muitas expectativas e há muitos jovens empreendedores, então foi um exemplo para o grupo. Eles viram que existe oportunidade para pequenos negócios e alternativas para a produção”, destacou o supervisor.

Roteiro

O principal destino do grupo foi Medellín, cidade que, em 2013, recebeu o título de mais inovadora do mundo e é reconhecida por promover ações criativas e sustentáveis. O grupo conheceu a propriedade Aura, que possui cultivo de hortaliças em sistema hidropônico. Com a proposta de agricultura urbana, a propriedade incentiva a utilização dos espaços da cidade para a produção agrícola sem uso de agroquímicos.

“Eles alugaram um lote dentro da cidade para praticar hidroponia porque precisam buscar alternativas e outras formas de cultivo pela falta de espaço. Isso nos mostrou que sempre vai ter um jeito, uma oportunidade”, apontou André Facin.

Na sequência da programação, o grupo conheceu dois projetos de agroecologia, SiembraViva e Orellanas Luna, que incentivam a agricultura local e valorizam o papel do pequeno agricultor. Na SiembraViva, além da inserção de campesinos na agricultura sustentável, os produtos são vendidos diretamente aos consumidores. O projeto Orellanas Luna é focado na produção de cogumelos e na inserção de atividades agrícolas em reservas naturais, de modo ecológico.

Ainda, o grupo conheceu o projeto Pomario, que produz hortaliças orgânicas e brotos comestíveis para o setor gastronômico de Medellín. Com isso, os restaurantes recebem produtos frescos e prontos para o consumo, reduzindo o desperdício. A iniciativa chamou a atenção de Roni Clei Zanovello, que já está com ideias para implantar algo semelhante em sua propriedade.

“É muito interessante como eles fazem a comercialização direta com o consumidor. Os chefes de cozinha e os produtores se juntam, tem apresentação dos produtos e degustação, para depois fazer a negociação. É algo que quero trazer para a propriedade, comercializar diretamente com restaurantes. Assim se entrega um produto de melhor qualidade e o produtor recebe um preço melhor”, destacou.

O roteiro também incluiu visitas a Mane, uma empresa de essências naturais para a indústria alimentícia e perfumaria; 3 Cordilleras, uma cervejaria artesanal com produtos naturais; Canutos, uma pequena indústria artesanal de balas de frutas da época; e Ecoflora, uma empresa de paisagismo e flores para exportação, além de desenvolvimento de soluções integradas para bioproteção de cultivos.

Para Aline Borges, a visita à pequena fábrica de balas foi um dos momentos mais interessantes. “Fiquei encantada pela dedicação que o dono colocou ali. Ele transformou cada cômodo da casa na fábrica, é tudo bem caseiro”, disse. Aline também destacou a presença massiva de jovens empreendedores no país. “Praticamente todos os lugares que conhecemos eram de jovens empreendedores. Aparentemente todos tinham uma pequena propriedade e começaram com um pequeno negócio. Os jovens estão nas propriedades e os pequenos espaços foram transformados em áreas produtivas”, observou.

Ainda durante a viagem, o grupo conheceu projetos de café e cacau, com degustação de produtos especiais, além de visita ao mercado atacadista local. Segundo os participantes, o que foi visto durante a viagem não tem relação direta com os projetos desenvolvidos, no entanto, foi uma oportunidade para aprender com o espírito empreendedor colombiano. “É um país que está se reinventando e está em desenvolvimento, principalmente na agricultura, adequando as condições deles para produzir e abastecer a população local. Foi uma viagem que agregou muito conhecimento para novas ideias do que pode ser utilizado nas propriedades aqui do Brasil e do Paraná”, concluiu Roni Clei Zanovello.

Final feliz

Os conhecimentos adquiridos durante o PER e a viagem técnica não foram as únicas novidades para o grupo. Dois dos vencedores, Aline Borges e Adriano Facin se aproximaram após a premiação e hoje estão namorando. O momento decisivo foi quando Aline precisou de ajuda com um serviço na propriedade e, Adriano, mesmo com a distância entre os dois municípios que ambos moram, conseguiu solucionar o problema. A partir daí, para o início do namoro, bastou alguns dias, quando os dois combinaram de se encontrar e oficializaram o relacionamento. “O que nos move estar juntos são os mesmos sonhos, projetos e ideais, além da nossa paixão pelo campo”, definiu Aline.

Veja mais fotos pelo link: https://www.flickr.com/photos/sistemafaep/albums/72157710723143417/with/48687943483/

Texto e fotos: Sistema Faep/Senar

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Pioneer