Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Pioneer

Terça-feira, 26 de março de 2019

Ovinocultura na Nova Zelândia

Dayanne Almeida se formou em Zootecnia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) Câmpus de Botucatu em 2008, no entanto, vem se dedicando à ovinocultura de corte desde 2005. Há quase 10 anos trabalha na Nova Zelândia com administração rural, melhoramento genético, manejo nutricional e sanitário do rebanho ovino como também capacitação técnica de profissionais no setor.

Dayanne iniciou sua carreira profissional trabalhando pela Associação Brasileira de Criadores de Dorper (ABCDorper) entre o final de 2008 e o início de 2009. Em abril de 2009, embarcou para a Nova Zelândia para estagiar por um mês em uma fazenda de ovinos e bovinos de corte na região de Hawke’sBay, centro sul da ilha norte, chamada OSRS. No final do período, ela foi convidada a permanecer por mais seis meses. Em outubro do mesmo ano foi contratada para desempenhar serviços básicos na fazenda, tais como manutenção de cercas, currais e implementos agrícolas, manuseio do rebanho com a utilização de cães pastores e cuidados gerais com os animais. O rebanho da propriedade era composto por três mil matrizes ovinas e 150 vacas cruza angus, com um total de 3 funcionários, incluindo ela.

Durante os 5 anos que trabalhou na OSRS, Dayanne realizou inúmeros cursos para aprimorar o conhecimento em administração rural e melhoramento genético aplicado ao sistema de produção neozelandês. Em outubro de 2014, deixou seu primeiro emprego para trabalhar na Fazenda Wairere, região de Wairarapa, sudeste da ilha norte como gerente de pesquisa e desenvolvimento.

A Wairere é a maior provedora de genética ovina na Nova Zelândia, comercializando por ciclo produtivo 3000 reprodutores. A fazenda possui joint-ventures na Austrália, Inglaterra e Chile e conta com um rebanho próximo de 24 mil animais distribuídos entre a propriedade principal e quatro fazendas satélites. A Wairere é propriedade de Derek e Chris Daniell e está na família há três gerações, totalizando mais de 90 anos de ovinocultura.

Na Waireere, animais Romney da Nova Zelândia assim como cruzamentos de linhagem maternal e terminal (compostos acima de 2 raças combinadas) são produzidos e selecionados via sistema de avaliação genética da Nova Zelândia (SIL-NZ). O rebanho de matrizes alcança taxa de desmame de 140% (ou seja, de cada 100 ovelhas encarneiradas 140 cordeiros são desmamados), 99% de taxa de prenhez, 95% de partos múltiplos apenas com um planejamento nutricional exemplar (100% com base em pastagem perene de clima temperado) e seleção de animais superiores por desempenho zootécnico no campo.

A fazenda principal está localizada em terreno 98% montanhoso com inverno rigoroso (temperaturas abaixo de zero graus celsius e mais de 700mm de chuva), verão quente e seco (temperaturas acima de trinta graus celsius e menos de 50mm de chuva por mês) e ventos de mais de 120km/h. Possui área de 1200 ha, dos quais 1070 estão divididos em 90 piquetes, onde pastejam 5000 matrizes acima de dois anos mais 1800 cordeiras de reposição, além de 400 vacas cruza Angus para manejo do crescimento da pastagem e controle de verminose nos ovinos.

A estação de monta é de forma natural com proporção média de 1 reprodutor para cada 120 matrizes e com duração de 34 dias. As cordeiras já são encarneiradas aos 7 meses de idade e apenas as que emprenham são retidas para reposição. 80% dos nascimentos ocorrem nas primeiras duas semanas de setembro como consequência de uma estação de monta em abril curta e seleção de animais que ciclam precocemente. Os cordeiros são brincados nos piquetes juntos às mães. Em nenhum momento animais são confinados ou mantidos em galpões.

Os cordeiros são desmamados aos 90 dias de idade, com 30kg em média já no início de dezembro. Nenhum tipo de suplementação é oferecido aos animais, apenas alta qualidade de pastagem formada por azevém e trevo quando atingem pico máximo de produção. O escore de condição corporal das matrizes é monitorado regulamente para que haja eficiência na oferta e utilização de alimento de qualidade às diferentes categorias de animais.

Na Fazenda Wairere, onde Dayanne atua, a zootecnista tem como responsabilidades principais: desenvolvimento e análise de projetos para aceleração de ganho genético do rebanho;  coleta e processamento dos dados de desempenho zootécnico; seleção de reprodutores e matrizes para o rebanho núcleo; consultoria e apoio técnico a produtores comerciais clientes da fazenda; planejamento e execução das atividades realizadas na propriedade.

Além de seu trabalho na Wairere, ela também participa como moderadora de grupos de discussão técnica na área de ovinocultura de corte e viaja constantemente para outros países em busca de novas técnicas que possam ser adotadas na fazenda onde trabalha para aumento da produtividade do rebanho. Simultaneamente ao trabalho no campo, realiza pós-graduação nível mestrado em zootecnia com especialização em melhoramento genético ovino sob mentoria do Professor Dr. Hugh Blair, pela Massey University, Nova Zelândia.

No momento está estudando a relação entre a flutuação do escore de condição corporal da matriz durante o ano e os índices produtivos de maior impacto econômico na propriedade. Também está avaliando parâmetros genéticos como herdabilidade e correlação do ECC com outras características como taxa de desmame, precocidade sexual das matrizes e rusticidade.

Desde 2011 viaja anualmente ao Brasil para palestrar gratuitamente em eventos como dias de campo, conferências, seminários e workshops com o intuito de compartilhar o que vivencia no país, referência em ovinocultura, na esperança de que possa servir de inspiração para o setor no Brasil.

Frente ao interesse que recebe frequentemente de seguidores e leitores presentes nas redes sociais, criou o Canal Sheepnutter - Ovinocultura em Foco (www.facebook.com/sheepnutter) como uma oportunidade para não apenas compartilhar ‘ao vivo’ o dia-a-dia na fazenda e projetos dentro da ovinocultura, mas também como um canal de discussão sobre a produção de ovinos no Brasil e nos países onde a atividade é excelência. A página tem quase 2 anos e já conta com mais de 15 mil seguidores, seus vídeos atingem, em média, mais de 50 mil pessoas por publicação. Realiza, também, transmissões ‘ao vivo’ específicas para estudantes com temas de cunho motivacional e relacionados à carreira em ciências agrárias.

Em agosto de 2016, Dayanne lançou a “Maratona Ovinocultura em Foco”, uma sequência de eventos em diversas e diferentes cidades brasileiras e até em outros países da América do Sul. As palestras da Dayanne Almeida duram em média 3 horas e na grande maioria das vezes são seguidas de um dia de campo para demonstração dos conceitos discutidos. Em alguns eventos, um dia inteiro de palestras é organizado com 4 ou mais temas definidos. O evento mais longo que participou como única palestrante durou 9 horas e teve mais de 300 ouvintes.

Sua última ‘maratona’ de palestras ocorreu em abril de 2018 e contou com mais de 2900 ouvintes nos 21 eventos espalhados por 19 cidades durante suas 3 semanas em solo brasileiro. Agora Dayanne planeja sua terceira ‘maratona’ para agosto de 2019, já com 30 palestras agendadas.

 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Biotrigo