Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Biotrigo

Quinta-feira, 27 de agosto de 2020

Projeto Desmama abreparcerias em ovinocultura

A Cooperaliança, no âmbito de seu Negócio Ovinos, abriu em 2018 espaço para parceria em ovinocultura. Por meio do Projeto Desmama,criadores que ainda não têm plantel suficiente para ser cooperados têm podido vender ovinos jovens aos produtores já associados à cooperativa, que se encarregam então da terminação. Para estes parceiros, a Cooperaliança destaca vantagens, como otimização reprodutiva da matriz, venda do lote desmamado de uma só vez e participação em seus eventos técnicos. Em entrevista, a vice-presidente, Adriane Thives Azevedo, falou sobre a iniciativa.

Como surgiu esse projeto?

Ele foi criado para dar suporte à demanda da Cooperativa, de produção de cordeiros, e também para viabilizar o pequeno produtor que hoje não se encontra apto para ingressar na cooperativa, por ter um volume pequeno de produção de animais, e que gosta da ovinocultura, quer ter uma renda com ela. Então, a cooperativa acaba absorvendo, através dos cooperados terminadores, esses cordeiros dos pequenos produtores.

É um projeto importante para os dois lados?

Com certeza. É um projeto que já foi analisado, já temos segurança de propor isso ao nosso cooperado, que seria a compra desse cordeiro desmamado. É um negócio que traz benefício aos dois lados, a quem produz o cordeiro e a quem vai terminar o cordeiro.

Alguns produtores têm mais afinidade com uma dessas etapas?

Sim. Nós tomamos muito o exemplo da bovinocultura, tem os que fazem o ciclo completo, cria, recria e engorda, mas também tem os criadores que, de acordo com o perfil da sua propriedade optam por fazer somente a cria ou só a terminação.

Os criadores de ovinos aqui da região, que ainda não sejam cooperados da Cooperaliança, mas se interessam em participar desse projeto, como devem proceder?

O produtor deve entrar em contato com a Cooperaliança e a cooperativa vai indicar esse cooperado parceiro, propiciar essa conversa, para que possa acontecer o negócio entre os dois.As negociações e os preços são acordados entre os produtores. Isso que é importante. Sugere-se que a negociação seja feita com base na cotação do CEPEA Paraná, no mês vigente, podendo ser pago até 10% a mais, em cordeiros rastreados ao nascimento. Note que a gente também está tentando fazer com que o produtor (parceiro) tenha um estímulo de produzir melhor.Assim como o meu cooperado ganha até 13% a mais em cima do produto dele, quero que o produtor de cordeiro, meu parceiro, tenha um estímulo para melhorar. O projeto é ideal para quem não possui área suficiente para criar as 150 matrizes, não tem interesse em aumentar o rebanho, ou ainda não atingiu as 150 matrizes para viabilizar financeiramente sua atividade e ingressar na Cooperaliança.

Foco da parceria são cordeiros desmamados, identificados e sadios

De acordo com a Cooperaliança, no Projeto Desmama o foco é que ovinocultores não cooperados vendam aos cooperados animais jovens. O padrão são cordeiros dente-de-leite, com idade entre três e quatro meses, peso vivo de 25 a 32 quilos, das raças utilizadas pela cooperativa, que são Texel, Île-de-France, Hampshire Down, PollDorset e suas cruzas. Além de estarem livres de problemas sanitários, todos os animais devem ter brinco de identificação e idade registrada em caderno de campo, já que a cooperativa trabalha com rastreabilidade.

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Biotrigo