Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Grupo Pitangueiras

Segunda-feira, 25 de março de 2019

Pastagem de trigo traz bons resultados a pecuaristas

Tecnologia de integração lavoura-pecuária proporciona maior aproveitamento na área de inverno, na engorda de gado e na produção de leite

No Brasil, a alimentação representa o maior custo da produção leiteira e também a maior preocupação dos produtores. Em torno de 70% de todo o valor gasto é destinado à alimentação. O custo é alto porque o setor da pecuária é dependente principalmente da disponibilidade de alimentos para os animais em produção. O verão é o período em que se produz maior volume de alimento conservado, especialmente a silagem de milho, mas no inverno as opções reduzem prejudicando a produção e encarecendo o valor dos alimentos conservados.

Preocupado em melhorar a produtividade, a qualidade e especialmente a eficiência da sua propriedade, o produtor de leite Hamilto Abatti, de Joaçaba (SC), resolveu inovar no inverno de 2018 e passou a complementar a alimentação das vacas com uma pastagem de trigo. A cultivar Lenox, do portfólio da Biotrigo Genética, atende a demanda dos criadores de gado leiteiro e de corte. Entre as características da cultivar está a alta palatabilidade, excelente sanidade foliar, elevada produção de biomassa e a alta capacidade de rebrota. “No global, o trigo satisfez tudo o que eu precisava na propriedade. Notamos que as vacas gostaram do alimento. E ainda conseguimos aumentar a produção de leite no inverno quando normalmente a produção não é tão boa”, relatou Hamilto.

A nova tecnologia de trigo, que évoltada exclusivamente para o pastejo, tambémtem proporcionado ganhos interessantes ao produtor Darci Munzlinger, de Palmitos (SC), que utiliza o sistema integração lavoura-pecuária. Além dos bons resultados na lavoura e na produção do leite, ele vê ainda como uma grande vantagem ter uma opção de alimentação no inverno e contribuir na alimentação do seu rebanho nessa época onde há escassez de pastagens naturais.“Esse trigo tem um rebrote bastante rápido, não acama, tem um perfilhamento bom e está com uma qualidade acima das outras pastagens que a gente já trabalhou. As vacas têm pastejado bem, tem dado preferência ao trigo e tem deixado a aveia para trás. O resultado no resfriador já foi de um aumento de um litro e meio, mas deve aumentar mais pois estamos apenas no segundo rebrote”, relata Darci.

Éderson Luis Henz, zootecnista da Biotrigo Genética, explica que a capacidade de rebrota da cultivar de trigo Lenox proporciona novos pastejos em poucos dias, com intervalo entre 20 a 25 dias. “O Lenox, com bom manejo pós-pastejo é capaz de chegar a 6 cortes com alta carga animal em sistemas de pastejo rotacionado ou contínuo. No entanto, temos relatos de vários produtores como o do Hamilto, que conseguiu alcançar 9 cortes no material. De uma forma bem manejada, essa cultivar pode expressar um grande potencial esuprir em quantidade e qualidade a produção de pasto no inverno”, acrescenta. Com o seu crescimento semi-prostrado, o trigotem potencial de chegar a uma taxa de acúmulo diário de até 100 kg de matéria seca por hectare. De ciclo super tardio, a época de semeadura indicada éa partir de abril e durante todo o inverno. Possui um forte perfilhamento e enraizamento muito agressivo.

 

Onde adquirir

As sementes da cultivar Lenox podem ser adquiridas diretamente com a Biotrigo Genética, em Campo Mourão (PR), pelo telefone (44) 3525-6447, em Passo Fundo (RS) pelo telefone (54) 3327-2002, ou no site www.biotrigo.com. Outra forma de adquirir as sementes é com a revenda autorizada, Leandro Sementes, em Dois Vizinhos (PR), pelo telefone (46) 3536-2005.

 

 

Veja algumas das características da cultivar para pastejo

 

  • Elevada produção de matéria verde
  • Excelente qualidade nutricional
  • Alta palatabilidade
  • Suporta pressão de pastejo e pisoteio
  • Alta capacidade de rebrota (entre 4 e 6 pastejos)
  • Taxa de acúmulo diária até 100 kg de matéria seca/ha-1
  • Desenvolvimento radicular agressivo
  • Excelente sanidade foliar
  • Excelente resposta à adubação nitrogenada
  • Nutrientes Digestíveis Totais (NDT): 74% (média)
  • Proteína Bruta (PB): 28 - 30% (MS)
  • Valor Relativo do Alimento (VRA): 142
  • Energia Líquida para Lactação (ELl): 1,71 mcal/kg MS

 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Grupo Pitangueiras