Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Biotrigo

Segunda-feira, 24 de junho de 2019

Momento Intacta: informações técnicas de especialistas

Área de refúgio e monitoramento correto da lavoura foram os principais assuntos da segunda edição do Momento Intacta – Preparando hoje sua lavoura do amanhã.

O debate que envolveu a participação dos especialistas Cassio Kossatz (agricultor e youtuber do climate Fieldview), Leonardo Sologuren (engenheiro agrônomo e mestre em economia), Jurema Rattes (doutora em Agronomia e pesquisadora), Marlon Denez (engenheiro agrônomo e mestre em Entomologia), com mediação da jornalista com MBA em Agronegócio, Lilian Munhoz, foi transmitido pelas redes sociais da Intacta, no dia 31 de maio.

Em Guarapuava, a transmissão para produtores rurais e profissionais ocorreu no Sindicato Rural, com recepção de profissionais da Soja Intacta da região.

Durante aproximadamente uma hora. os profissionais debateram como o produtor pode alcançar melhores produtividades com a Soja Intacta RR2 PRO. Ambos buscaram destacar que apesar da Intacta possuir resistência a algumas pragas, é importante se preocupar com o manejo da lavoura, especialmente o monitoramento de pragas e doenças.

Atualmente, são mais de 20 milhões de hectares plantados com Soja Intacta no Brasil. Após a consolidação da tecnologia, a produtividade saltou de 50 a 60 de sacas/hectares para até 80 sacas/hectares, segundo os especialistas.

A tecnologia Intacta RR2 PRO auxilia o produtor rural na resistência contra quatro pragas na lavoura de soja: lagarta da soja, lagarta falsa medideira, lagarta das maçãs e broca das axilas. O agrônomo Marlon Denez comentou que a empresa busca estar em constante evolução e que o próximo passo é o lançamento da Plataforma Intacta 2Xtend. “Esta nova tecnologia visa, além de proteger contra estas quatro lagartas, mais duas lagartas nesse espectro de proteção de combate, que seriam a Helicoverpa Armigera e a Spodoptera Cosmioides. Além disso, a tecnologia terá opções de refúgio, por isso estamos chamando de plataforma. E também a tolerância ao glifosato e ao Dicamba, para facilitar o manejo”. A previsão de lançamento da Plataforma Intacta 2Xtend é 2021.

Monitoramento da lavoura e área de refúgio

 

Denez destacou que só o lançamento de novas tecnologias não resolve todos os problemas do produtor e que elas sozinhas não expandem a máxima capacidade de produtividade. “É necessário o monitoramento constante da lavoura; trabalhar identificando quais são as pragas alvos da tecnologia. porque no final do dia precisamos proteger o potencial da produtividade da lavoura”.

“Dentro deste cenário, o Manejo Integrado de Pragas (MIP) é cada vez mais importante para o produtor rural”, comentou a pesquisadora Jurema Rattes. Ela destacou alguns pilares importantes para o sucesso da biotecnologia aliado ao MIP: “Primeiro, o produtor tem que entender que plantio no limpo é muito importante. É aí que começa o sucesso da lavoura. Adoção da biotecnologia com responsabilidade. O produtor e o técnico precisam conhecer a biotecnologia e fazer o acompanhamento durante todo o ciclo para o combate de pragas, para não serem surpreendidos com pragas não-alvo. Primeiro é necessário conhecer a população de pragas e depois disso entrar com a aplicação de produtos. Mas, infelizmente, sabemos que muitas vezes o produtor não respeita esse processo e com isso, há consequências graves. Importante também a implantação correta da área de refúgio, pois é ela que nos garante a vida da biotecnologia”.

Complementando, Denez ressaltou a importância da operacionalização do produtor rural em relação ao planejamento da sua lavoura. “A área de refúgio, por exemplo, tem que ser programada, para respeitar o limite de 800 metros da lavoura e deixar que 20% seja ocupada por ela. Dá um pouco de trabalho? Sim, mas não se compara aos benefícios que a ferramenta traz, quando utilizada da maneira correta. Se perdermos esta tecnologia, teremos o dobro de trabalho”.

“Temos genética, temos ferramentas digitais que auxiliam o produtor rural e temos capacidade de crescer muito mais em produtividade. Queremos chegar as 140 sacas/hectare. Falta o produtor rural fazer o papel dele, utilizando as tecnologias da melhor maneira”, refletiu o produtor rural e youtuber, Cassio Kossatz, em um dos momentos do debate.

Mercado

O engenheiro agrônomo e mestre em economia, Leonardo Sologuren comentou sobre o mercado atual da soja. “Estamos passando por um momento complexo na economia. Tivemos dados recentes que o PIB apresenta um decréscimo de 0,2%. A Europa também está decrescendo, mas os Estados Unidos está crescendo. Cresceu 3%, portanto, o dólar está ainda mais valorizado. Ao mesmo tempo, temos a guerra comercial entre China e EUA, que gera um contrabalanço. Resumidamente, o dólar está em alta, a guerra comercial está aumentando o prêmio aqui no Brasil e estamos com um atraso muito significativo na safra dos EUA. Por isso, pelo menos para o preço da soja, no atual momento, isso está sendo favorável para o produtor brasileiro. O produtor rural tem que aproveitar estes picos de preço”.

 

 

 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Biotrigo