Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Grupo Pitangueiras

Sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Cuidados pós plantios na cultura da Nogueira-pecã

Danielle Galvan

Eng. Msc. Agrônoma

CREA RS 179361

Membro do Comitê de Promoção e Marketing da Noz Pecã- PRÓ-PECÃ/RS

Membro da Diretoria do Instituto Brasileiro de Noz Pecã

Consultora Agronômica da Viveiros Pitol e Nozes Pitol

Responsável Técnica de Nogal 

 

Com o pomar já implantado, alguns cuidados são necessários para que o mesmo se desenvolva corretamente, atendendo expectativas de sanidade e produtividade futura. As exigências hídricas, nutricionais e o controle de pragas são os principais fatores que merecem atenção após a implantação do pomar.

            Para garantir que esses fatores sejam atendidos com sucesso, devemos levar em consideração algumas práticas essenciais nos primeiros anos da cultura. A primeira delas é a irrigação. Plantas de nogueira-pecã no primeiro ano de plantio necessitam de água disponível durante todo ciclo. Um déficit de água pode ocasionar a morte da muda. Na fase jovem da planta, que vai do momento do plantio até a produção, a disponibilidade de água é muito importante pois determina o crescimento dos tecidos verdes, diâmetro de tronco, altura e sistema radicular. A irrigação deve ser feita com 70 litros de água por planta, se não ocorrer chuvas que acumulem 40 mm durante a semana.

            A segunda prática é a adubação, para atender as necessidades nutricionais das plantas. Antes do plantio, é recomendado que se faça uma análise de solo da área. A partir desta análise e com a interpretação de um Eng. Agrônomo(a), deve ser feita a correção do solo para receber a cultura. Esta prática, após implantado o pomar deve ser repetida a cada dois anos durante toda vida do pomar.

Contando com a adubação de cova, o pomar no primeiro ano de plantio deve receber apenas a adubação de crescimento com adubo nitrogenado, dividido em três períodos: setembro, novembro e fevereiro. Durante a aplicação devem ser tomados alguns cuidados primordiais: aplicar o adubo sempre coroando as plantas e deixando um raio de 50cm do caule e não aplique após o mês de fevereiro nenhum tipo de adubo nitrogenado, esta ação pode ocasionar atrasos no ciclo da cultura.

Após o primeiro ano, com análise de solo em mãos, o mais indicado é procurar um Eng. Agrônomo(a) que tenha conhecimento das necessidades da cultura e possa fornecer as melhores recomendações para o pomar, de acordo com as necessidades do solo e da planta. 

            Durante o primeiro ano do pomar, deve-se estar atento a presença de pragas que podem danificar ou até mesmo ocasionar a morte das mudas. Dentre as pragas de maior ocorrência nesta fase do pomar, estão as formigas cortadeiras. Para que a presença destas não cause prejuízo ao seu pomar, é essencial que se faça visitas de inspeções periódicas, verificando se há ocorrência da praga no pomar. Caso ocorra, os métodos de controle mais utilizados são: uso de formicida do tipo isca, barreiras físicas ou fitas ao redor do caule.

            O controle de ervas também é uma prática necessária no primeiro ano de plantio, já que estas competem com as mudas por luz, nutrientes e água. Essa competição prejudica o desenvolvimento da muda.  As práticas mais utilizadas para manter os pomares livres de ervas daninhas são: capinas de coroamento ao redor da muda e utilização da cobertura morta ao redor da planta. A utilização de alguns produtos químicos pode ocasionar a fitotoxidade a muda, portanto dê preferência ao de ação de contato e proteja a muda durante a aplicação.

 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Grupo Pitangueiras