Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Pioneer

Quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Wintershow discutiu produtos biológicos e manejo da cevada nesta quarta-feira (14)

O Wintershow, evento voltado aos cereais de inverno – como trigo e cevada, realizado pela Cooperativa Agrária continuou nesta quarta-feira (14), nos campos da FAPA (Entre Rios – Guarapuava). Pela manhã a programação incluiu a visitação nos estandes de empresas parceiras, que disseminam as mais recentes tecnologias para as culturas de inverno. à tarde continuou a programação online com as palestras técnicas. 

Estação Entomologia e Fitopatologia

Nesta estação, os pesquisadores Cristiane Gardiano Link, Heraldo R. Feksa e Alfred Stoetzer apresentaram um debate sobre o tema “Como integrar o controle biológico no manejo de pragas e doenças”.

Como explicou Cristiane, as pesquisas sobre os produtos biológicos são recentes na Cooperativa Agrária, em especial a linha onfarm, que é quando o próprio produtor reproduz os microrganismos na fazenda. “Muitos cooperados já usam produtos biológicos comerciais nas propriedades. Mas os primeiros ensaios do onfarm foram implantados nesta última safra de inverno nas áreas de cooperados da Agrária. Por isso, ainda não temos resultados. Estamos procurando auxiliar, principalmente, na qualidade tanto em relação à contaminante, quanto à concentração do produto que é aplicado. Procuramos passar que deve ter uma estrutura mínima, para que haja um controle tanto de qualidade, como viabilidade”.

Cristiane comentou também que além da qualidade do produto, deve haver um controle mais frequente atento na lavoura. “O monitoramento deve ser semanal. Quando se pretende usar biológicos. Deve-se estar muito atento ao que está acontecendo na lavoura”.

Na linha de produtos biológicos comerciais, Stoetzer conta que a FAPA realiza pesquisas destes produtos na fase pré-lançamento, estudando qual é o melhor momento de aplicar, qual alvo atinge, qual é a dose, entre outros fatores. “Trabalhamos basicamente com bactérias, vírus e fungos, são os três principais agentes que temos trabalhados na Agrária. Assim temos acesso deforma segura, rápida e barata. Temos resultados promissores, mas sempre com cuidados, monitoramento e aplicação de forma correta”, finaliza.

Estação Cevada

Noemir Antoniazzi discutiu durante sua fala sobre o manejo de cultivares de cevada para produção de malte. “Há 28 especificações do malte. Na Fapa fazemos análise de todas essas especificações, desde o início de desenvolvimento de novas variedades e que depois é confirmado nas produções industriais e aí passa de malte para cerveja e então é aprovada a variedade. O malte bom depende do manejo no campo e consequentemente da qualidade da cevada”, detalhou.

Antoniazzi cita alguns fatores que dependem do produtor e contribuem para produtividade e qualidade da cevada: adubação, sendo de base (análise do solo e expectativa de rendimento), cobertura (depende de especificações como dose, fonte, cultivar e pré-cultura), com micronutrientes como o Boro, eliminação do alumínio tóxico com aplicação de calcário e por fim a calagem; época ideal de semeadura (indicação da FAPA, o melhor período é de 15 a 30 de junho, com concentração de 20 a 30 de junho), escalonamento do plantio para minimizar as perdas pela geada, escolha ideal de variedades e densidade de semeadura

Produzir e preservar: sustentabilidade da produção agropecuária brasileira

Sustentabilidade foi o último tema do segundo dia do WinterShow. O analista da Embrapa Territorial, Gustavo Spadotti Amaral Castro mostrou dados sobre a preservação ambiental no Brasil. “Em prol da proteção do meio ambiente dos mais de 851 milhões de hectares do território brasileiro, 154.433.280 ha são Unidades de Conservação com APAs. São 1871 unidades de preservação. No site da Embrapa Territorial tem todas as informações sobre elas. Além disso, 14% do território brasileiro são destinados as terras indígenas, são 600 unidades. No total 30,2% da área brasileira são terras protegidas. Comparando com outros países, na média mundial, eles protegem 10% dos seus territórios. O Brasil protege 3x mais e a gente apanha lá fora, com gente dizendo que o Brasil não protege seu território. Isso não é verdade”, detalhou.

Castro também destacou como a agropecuária contribui para preservação ambiental, produzindo com sustentabilidade. Dentre vários dados, ele afirmou que 48% das áreas dos imóveis rurais no Brasil são preservadas. “O que dá 26% da área do território brasileiro, ou seja, ¼ do Brasil é preservado pelos agricultores. É fantástica essa participação que o agro tem na preservação ambiental brasileira, que deve ser valorizada não só pela nossa sociedade, como também pelos importadores do Brasil”, finalizou.

 

Sindicato Rural de Guarapuava faz parte de Conselho Mesorregional do IDR

Na manhã desta quarta-feira (14), o Wintershow recebeu a visita de autoridades ligadas à agricultura, como o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara e o presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, Natalino Avance de Souza.

No estande da entidade foi oficializado o convite para o Sindicato Rural e a regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) fazerem parte do Conselho Consultivo Mesorregional Centro do Instituto de Desenvolvimento Rural (IDR) - recém-criado e que unificou todas as instituições, a partir da incorporação do Instituto Emater,  Codapar, a Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná, e do Centro Paranaense de Referência de Agroecologia pelo Iapar (Instituto Agropecuário do Paraná). Quem recebeu o convite foram os diretores do Sindicato Rural, Rodolpho Botelho e Josef Pfann e o supervisor regional do Senar, Aparecido Ademir Grosse.

“Buscamos com os conselhos pedir o apoio e direcionamento de quem realmente faz a agricultura do Estado em várias regiões do estado. Esses conselhos nos darão um direcionamento de quais pesquisas fazer, por qual caminho nós devemos seguir com o IDR. Queremos estar em sintonia com o anseio e necessidades da moderna agricultura”, detalhou Ortigara.

Confira a composição do Conselho Consultivo da Mesorregião Centro, o qual Guarapuava faz parte:

Sindicatos Patronais: Sindicato Rural de Guarapuava – Rodolpho Botelho e Senar Regional Guarapuava – Aparecido Ademir Grosse

Sindicatos dos Trabalhadores Rurais: STR Rio Bonito do Iguaçu – Antonio R. Schuck e STR Pitanga – Dirceu Alves de Lima

Cooperativas Rurais e Agroindustriais: Cooperativa Agrária – Jorge Karl e Coprossel – Paulo Pinto de Oliveira Filho

Cooperativas da Agricultura Familiar: Coamar – José Maximino Mussato e Coofapi – Neuzelia Ferreira da Rosa Kunseler

Associações dos munícipios: Associação dos Munícipios Cantuquiriguaçu – Jonatas Felisberto da Silva e Associação dos Munícipios do Centro do Paraná – Elizabeth Stipp Camilo

Instituições de Crédito Rural: Banco do Brasil – Marcelo P. da Silva Guilerme e Sicredi  Grandes Lagos – Orlando Muffato

Assistência Técnica Rural Privada: Agro 10 – Leandro Bren e Consipa – Jean Carlo Mezzalira

Instituições de Pesquisa Agropecuária: Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária (FAPA) – Rodrigo Ferreira e Centro Universitário Campo Real – Moana Rodrigues França

Universidades Públicas e Privadas: Unicentro – Marcelo Cruz Mendes e Faculdade Guarapuava – Leonardo Becher Mattos Leão

Núcleo Seab: Chefe do Núcleo de Guarapuava – Arthur Bittencourt Filho e Chefe do Núcleo de Pitanga – José Guilherme Stipp Camilo

 

 

 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Pioneer