Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Paran Silos

Terça-feira, 30 de outubro de 2018

Segunda etapa da Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa inicia no dia 1º de novembro

A segunda etapa da Campanha de Vacinação contra Febre Aftosa começa no dia 1º de novembro e segue até o dia 30 de novembro no Paraná. Nesta etapa, devem ser vacinados todos os bovinos e búfalos, incluindo os bezerros com poucos dias de vida.

O produtor deve comprar a vacina nas casas agropecuárias. Ao comprar a vacina, deve obter a Nota Fiscal de compra da vacina, o Comprovante de Vacinação e Atualização Cadastral. A dose da vacina é de 5 ml para todos os animais, independente do peso e tamanho.

Nos 16 municípios atendidos pela Unidade da Adapar de Guarapuava deverão ser vacinados 838 mil animais entre bovinos e bubalinos.

Comprovação da vacina

Além de vacinar, o produtor deve preencher o Comprovante de Vacinação, relacionando corretamente a quantidade de animais existentes e de animais vacinados, por sexo e idade. A quantidade de animais relacionada no comprovante será cadastrada na ADAPAR e, portanto, deve ser exatamente igual ao existente na propriedade.

Para fazer a comprovação da vacinação nas Unidades Locais de Sanidade Agropecuária, o produtor deve levar as duas vias do Comprovante de Vacinação, Atualização Cadastral e a Nota Fiscal da compra da vacina. A Adapar em Guarapuava fica na Rua Vicente Machado, 1811, Centro.

O processo de comprovação pode ser feito online. Se optar por este meio, o produtor deve acessar a página da ADAPAR (www.adapar.pr.gov.br).

A não vacinação ou não comprovação implica em multa mínima de 10 UPF (Unidade Padrão Fiscal do Paraná), variando conforme o número de animais, além de não poder transportar os animais para qualquer finalidade.

Paraná área livre de Febre Aftosa sem vacinação em 2019

No dia 26 de outubro, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) confirmou a autorização para que a última campanha de vacinação ocorra em maio de 2019. Desta forma, o Paraná irá deixar o Bloco V, junto com o Rio Grande do Sul, Santa Catarina (que já é área livre de febre aftosa sem vacinação), Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, para integrar o Bloco I, com Acre, Rondônia e partes de Amazonas, do Programa Nacional de Erradicação de Febre Aftosa (PNEFA).

Na prática, a medida reforça o trabalho para que o Paraná obtenha o reconhecimento de área livre de febre aftosa sem vacinação junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em 2021. A partir de então, novos mercados que pagam mais pela qualidade da carne paranaense, tanto bovina, como suína e de aves, irão abrir as portas, beneficiando todos os elos da cadeia produtiva.

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Paran Silos