Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Banner_ApoioGeomatica

Segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Produtores de Guarapuava e região participam de Congresso de Erva-Mate

Durante a 10ª Festa do Vinho, em Bituruna, no dia 7 de julho, foi realizado o 1º Congresso da Erva-mate do Território Vale do Iguaçu. Mateicultores de Guarapuava e região estiveram presentes no evento, por meio de uma caravana organizada pelo Sindicato Rural de Guarapuava.

O congresso foi realizado pela Prefeitura Municipal de Bituruna e o Instituto Brasileiro de Erva-mate (Ibramate), contando com a participação de mais de 400 pessoas, entre eles, produtores rurais, viveiristas, pesquisadores, agrônomos, técnicos e estudantes.

Ao iniciar o congresso, o prefeito de Bituruna, Claudinei de Paula Castilho,recepcionou os participantes, afirmando que a erva-mate tem se tornado uma matéria cada vez mais importante não só para o chimarrão, mas para uma diversidade de produtos. “O consumo tem crescido não só no Brasil, mas em todo o mundo. Por isso, nós como produtores e também toda a cadeia produtiva, devemos nos atualizar, visando sempre evoluir, agregando cada vez mais valor e qualidade ao nosso produto”.

O evento contou com uma programação técnica diversificada sobre a cadeia produtiva da planta. Nas palestras foram abordados assuntos, como Ibramate; boas práticas agrícolas; melhoramento genético; certificação orgânica; politicas públicas e importância estadual da erva-mate; e tendências da indústria em relação à qualidade da matéria-prima.

O 1º Congresso de Erva-mate do Território Vale do Iguaçu contou com o apoio da Emater, Governo do Estado, Programa Pró-rural, Leão Alimentos e Bebidas, Sindicato Rural de Bituruna, Amsulpar e Território Vale do Iguaçu.

A Revista do Produtor Rural esteve presente, fazendo a cobertura do evento. A equipe conversou com o pesquisador da Embrapa Florestas, Ivar Wendling, que ministrou a palestra sobre melhoramento genético da erva-mate, um dos temas que chamaram a atenção do público. Confira o resumo da palestra:

 

Melhoramento Genético

Ivar Wendling – Embrapa Florestas

“Inicialmente, o foco da seleção de árvores de erva-mate foi a produtividade. Mas com o tempo, o foco foi mudando e hoje o principal objetivo é a qualidade e não somente a quantidade, considerando a composição química, principalmente os componentes metilxantina, cafeína, podomina e antioxidantes e também o próprio sabor. Estamos focando o trabalho de melhoramento genético visando novos produtos. Isso não quer dizer que não influencia na qualidade do chimarrão, mas o foco hoje é ampliar o mercado de erva-mate, com a diversificação de produtos. Há vários trabalhos para utilização da planta como produto medicinal, por exemplo, combate a pragas, no uso de rações de animais, produtos cosméticos e outras bebidas, além do chimarrão. Uma das ferramentas do melhoramento genético são os clones. Com eles é possível ter uma produção padrão. Por exemplo, se tenho o objetivo de produzir uma matéria-prima com alta cafeína, por meio do clone eu vou conseguir uma uniformidade. Outro ponto que devemos ressaltar é que 35% das plantas são responsáveis por mais de 50% da produção. Ou seja, há muitas plantas em um erval que nem produzem. Por meio da clonagem podemos separar as plantas boas das ruins. Já são 20 anos de pesquisa de melhoramento genético. Tivemos muitos avanços desde então e esperamos ter ainda mais resultados”.

 

Erva-mate na gastronomia

Ao final do evento, foram entregues os certificados para aos participantes do curso “Erva Mate na Gastronomia”, promovido em parceria entre a Prefeitura Municipal, Ibramate e Senar. Os quitutes preparados a base de erva-mate foram degustados pelos participantes do Congresso. Entre os pratos, bolachas, bolos, balas, pães, empadinhas e massa de pizza.

O produtor de erva-mate, Waldemar Geteski, de Guarapuava, elogiou a diversificação de temas tratados durante o Congresso. “Eventos dessa natureza promovem a evolução da produção agrícola da erva-mate. Durante as palestras, foram tratados assuntos importantes, como cultivo de erval meia sombra; boas práticas na produção agrícola da erva-mate; erva-mate na culinária, uma oportunidade da erva-mate passar a ser consumida na merenda escolar e aumentar a diversificação de mercado; a importância  do produtor observar a qualidade e origem das mudas de erva-mate; e a possibilidade da Embrapa Floresta desenvolver um secador de erva-mate (que realize a desidratação da erva mate sem fumaça)”. 

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Banner_ApoioGeomatica