Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Microgeo 2

Segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Exposição-Feira Agropecuária reuniu produtores e lideranças do setor

A 42ª Exposição-Feira Agropecuária e Industrial de Guarapuava (Expogua) foi realizada de 4 a 13 de agosto, no Parque de Exposições Lacerda Werneck. A feira, um dos maiores eventos do gênero na região, movimentou por mais um ano a economia regional, ofereceu informações técnicas sobre o agronegócio e entretenimento à população.

Foram dez dias de evento, com uma programação diversificada, incluindo leilões, julgamentos de raças, palestras técnicas, praça de alimentação, pavilhão da indústria e comércio, parque de diversões, rodeios e shows.

A abertura oficial ocorreu na noite do dia 4 de agosto, no Recinto de Leilões, com a presença de autoridades e lideranças do setor do agronegócio.

O secretário Estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, destacou a situação favorável da agricultura paranaense e disse que a expectativa é de um crescimento ainda maior. “Os produtores paranaenses estão ficando excelentes, imitando os produtores rurais aqui da região de Guarapuava, que se destacam por sua produção em todo o Estado. Aqui é um bom exemplo de como as coisas bem articuladas, o conhecimento e a tecnologia, mesmo em condições adversas, ajudam a transformar a realidade”.

O presidente do Sindicato Rural de Guarapuava, Rodolpho Botelho, entidade patrocinadora do evento, destacou o momento econômico em que o país vive. “Mais uma vez, nós vamos abrir os portões da Expogua com perspectivas interessantes, apesar do momento ser de dificuldade. Mas precisamos quebrar paradigmas, ter novas conquistas e principalmente, muita união, trabalho e seriedade. Acredito que a diversificação da produção da região e do Estado é o caminho para o aumento de produtividade, melhoria de renda para os produtores rurais e geração de riquezas para nossa região”.

O presidente da Sociedade Rural de Guarapuava, Denilson Baitala, entidade organizadora da Expogua, disse que as parcerias são fundamentais para a realização da feira. “Somente com força e a união conseguiremos continuar com esse grande evento de Guarapuava, que mostra o potencial do agronegócio da região. Agradeço o apoio de todos e desejo excelentes negócios aos nossos produtores rurais”.

Também prestigiaram a solenidade de abertura, o prefeito municipal Cesar Silvestri Filho, o presidente da Acig, Rudival Kasczuk, secretários municipais, vereadores e representantes de entidades e empresas parceiras do evento. 

------------------------------------

Julgamento leiteiro abre programação técnica da Expogua

 

O Julgamento de Novilhas e Bezerras Leiteiras das raças Jersey e Holandesa, promovido pela Cooperativa Agropecuária Mista de Guarapuava (Coamig), foi realizado no dia 5 de agosto, abrindo a programação técnica da 42ª Expogua.

Ao todo, 21 animais das duas raças foram avaliados pelo jurado Avelino Manoel Figueiredo Corrêa, médico veterinário e classificador oficial da raça Holandesa no Paraná, que atua pela Associação Paranaense de Criadores da Raça Holandesa. “É a primeira vez que fiz o julgamento na Expogua e foi um prazer. Tanto os animais da raça Jersey, quanto a Holandesa demonstraram-se espetaculares. Animais com boa caracterização das raças, mostrando que os produtores da região estão investindo em genética. Também com uma boa capacidade corporal. Estes animais, quando estiverem dando leite na propriedade, deixarão seus proprietários felizes com o resultado”.

A grande campeã da raça Jersey foi a novilha Flor Event do Sítio Paiol de Telhas (Guarapuava), do proprietário Vanderley Kuachinhak. Essa não foi a primeira vez que o produtor de leite participou do julgamento e levou o grande prêmio para casa. No ano passado, a grande campeã da raça também foi um animal de sua propriedade. “Nós temos feito um trabalho de melhoramento genético, alimentação e mantido uma forma adequada de criar o animal para manter a qualidade dentro da propriedade. Essa novilha que foi a grande campeã é uma neta de prime, o pai dela é Event e com uma mãe também de genética muito boa. Ela já vinha demonstrando resultado, tanto que foi a Grande Campeã Fêmea Jovem de Laranjeiras do Sul e aqui ela veio mostrar novamente sua aptidão leiteira”.

Já a grande campeã da raça Holandesa foi a novilha Passo Escuro Aurelia Ammo (Turvo), do proprietário Thiago de Oliveira. Ele participou pela primeira vez do julgamento na Expogua e saiu bastante satisfeito com o resultado. “Temos trabalhado muito com a inseminação artificial, melhorando a genética e, principalmente, adequando a maneira de criar a bezerra para que ela seja uma boa vaca. Aprendi como cuidar bem delas, fazer com que elas tenham um arranque de maneira correta e agora rendeu os frutos, com as premiações que eu consegui”.

-----------------------------

Qualidade em bovinos e ovinos

Quem foi aos leilões da 42ª Expogua encontrou lotes de bovinos e ovinos que confirmaram Guarapuava como uma das melhores praças do Paraná para o pecuarista adquirir animais de qualidade. Com excelentes condições de pagamento, a comercialização ficou a cargo da Gralha Azul Remates. Confira as médias, de acordo com informação da empresa.

5 de agosto

Leilão de Novilhas de Gado Leiteiro – COAMIG

Novilhas holandesas – Média por cabeça R$ 6.942,00

Novilhas jersolanda – Média por cabeça R$ 5.400,00

 

1º Leilão Raças Zebuínas

(Touros PO, novilhas de alta genética para cria e bezerros de cruzamento Nelore/Tabapuã/Brahman).

 

TOUROS TAPABUÃ

Preço médio por cabeça: R$ 7.400,00

 

TOUROS BRAHMAN

Preço médio por cabeça: R$ 7.500,00

 

TOUROS NELORE

Preço médio por cabeça: R$ 7.500,00

 

6 de agosto

3º Leilão Especial do Criador

(Bezerros de cruzamento industrial, bois selecionados para engorda e bezerras e novilhas para recria).

 

BEZERROS

Preço médio por cabeça: R$ 1.183,00

Preço médio por kg: R$ 5,43

Peso médio por cabeça: 221 kg

 

BOIS

Preço médio por cabeça: R$ 1.193,00

Preço médio por kg: R$ 4,68

Peso médio por cabeça: 254 kg

 

NOVILHAS

Preço médio por cabeça: R$ 1.289,00

Preço médio por kg: R$ 4,54

Peso médio por cabeça: 283 kg

 

VACAS

Preço médio por cabeça: R$ 1.410,00

Preço médio por kg: R$ 3,30

Peso médio por cabeça: 426 kg

--------------------------------

Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Guarapuava na Expogua

Durante a 42ª Expogua, nos dias 12 e 13 e agosto, o Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Guarapuava (NCCCG) realizou as tradicionais provas equestres da raça. Com participação recorde de animais, ao todo 123, foram realizadas a prova morfológica, campereada e as provas infantis. “As expectativas foram totalmente superadas. Não esperávamos esta quantidade de animais. Foi a primeira Expogua que tivemos esta quantidade no parque. Além disso, foram animais de excelente qualidade, vindos até de fora do Paraná, como de Santa Catarina”, avaliou o presidente do NCCCG, HeikoEgles.

O jurado Dali Hess (Associação Brasileira de Criadores do Cavalo Crioulo- ABCCC), que julgou a prova morfológica, avaliou os animais. “Quero parabenizar os criadores da região, pois eram excelentes animais, principalmente, um time de fêmea bastante importante, com exemplares que têm condições de participar de qualquer exposição do país”.

------------------------------

Circuito de Rodeio

Coragem e emoção

Na noite dos dias 4, 5 e 6 de agosto, a Expogua viveu novamente as emoções do Circuito de Rodeio, com a narração inconfundível de Marcos Brasil. Na pista, os peões mostraram toda a sua garra e coragem, levando emoção a um público que lotou a arena do evento.

-----------------------------

A casa do produtor rural na Expogua

Como patrocinador do evento, o Sindicato Rural de Guarapuava esteve presente mais um ano no chalé da entidade, um local para recepcionar os sócios de Guarapuava e região.

Caravanas de produtores das Extensões de Base de Candói e Cantagalo foram recepcionadas na tarde do dia 5 de agosto. Cafés coloniais para sócios e parceiros também ocorreram aos sábados, durante o evento.

----------------------------

Uma tarde com a Coamig

 

Aproximadamente 400 crianças de escolas municipais visitaram a 42ª Expogua no dia 7 de agosto. A ação foi promovida pelo segundo ano consecutivo pela Cooperativa Agropecuária Mista de Guarapuava (Coamig), com o apoio de mulheres envolvidas no meio rural, Sindicato Rural de Guarapuava, Sociedade Rural de Guarapuava, Sicredi, BMilk e Casa da Cultura.

As crianças da Escola Municipal Julieta Anciutti, Escola Municipal Benedita da Silva e Escola Municipal Dionísio Kloster Sampaio assistiram duas apresentações culturais promovidas pela Casa da Cultura de Guarapuava. Em seguida, a estrela da tarde foi a vaca Mimosa, que chamou muita atenção da criançada. Uma rápida ordenha foi realizada para mostrar aos pequenos da onde vem o leite. Ao final, as crianças receberam um lanche especial. O evento foi denominado “Uma tarde com a Coamig”.

A aluna da Escola Municipal Julieta Anciutti, Marina Gonçalves Oliveira, de 9 anos, afirmou ter gostado muito do evento. “Gostei muito do teatro que contou a lenda do boi Bumbá. E nunca tinha visto uma vaca dar leite. Foi muito legal”.  A professora Eva Regina Sebrenski, da mesma escola, destacou que a ação é muito interessante para as crianças. “Para elas, só o fato de saírem da escola e irem até um lugar diferente, já é interessante. E o que foi repassado para elas, sobre o folclore e essa aproximação com o meio rural também será aproveitado para atividades dentro de sala de aula. Então foi uma experiência muito rica”.

Outro aluno, da Escola Benedita da Silva, Bruno Miguel Souza, de 8 anos, disse que já tinha visto uma vaca sendo ordenhada. “Mas gostei muito do passeio e das apresentações. Foi muito engraçado”.

A diretora da Benedita da Silva, Ingrid Justino, aprovou a iniciativa. “Para a maioria dessas crianças essa é a única oportunidade de estarem aqui na Expogua. Achei muito interessante ser trabalhado esse contexto do folclore, mas mais ainda estar inserido no meio do cooperativismo, que hoje é tão importante. Estamos em meio a uma crise e desde pequenos é importante eles conhecerem sobre o cooperativismo e como ele pode nos ajudar”.

Uma das organizadoras da ação social, Niura Bastos, disse que a intenção da atividade foi promover aos alunos a oportunidade de vivenciar outras realidades. “Nós sabemos o quanto é difícil para as escolas públicas promoverem atividades diferenciadas para as crianças, ainda mais sair da rotina da escola, pelo fato do próprio deslocamento. Queremos continuar promovendo esse trabalho todos os anos”, considerou.

------------------

Ciclo de Palestras

Temas para a evolução da bovinocultura

Entre os vários pontos de destaque da Expogua 2017, o Ciclo de Palestras que a Cooperaliança promoveu, dia 11 de agosto, no Sindicato Rural de Guarapuava (um dos apoiadores do evento), trouxe temas diretamente ligados ao dia a dia das propriedades. Foram patrocinadores: Associação Brasileira de Angus, Agrária, Atlântica Sementes e Carga Pesada – Apoiadores: DSM/Tortuga, Núcleo de Produtores de Bezerros de Guarapuava, Sociedade Rural de Guarapuava e Sindicato Rural de Guarapuava.

A REVISTA DO PRODUTOR RURAL acompanhou o ciclo de palestra e o dia de campo. Confira:  

 

Desafios e Perspectivas para a Bovinocultura de Corte em meio às Instabilidades de 2017

Alcides de Moura Torres Junior – “Scot” (Eng. Agrônomo pela ESALQ / Analista de mercado e diretor da Scot Consultoria)

“Nessas décadas em que acompanhamos o mercado, vimos que só os produtores profissionais vão lograr algum tipo de sucesso, de resultado econômico da atividade. Não tanto aqui em Guarapuava, não tanto a Cooperaliança, que é muito profissional, mas no restante brasileiro, aqueles produtores extrativistas estão com os dias contados. Na verdade, eles estão empobrecendo. A pecuária, bem administrada, é tão rentável quanto o milho, a soja. Ela proporciona lucros em torno de 900 a 1200 reais por hectare”.

Princípios de Sucessão Familiar e Governança no Agronegócio

Daniel Pagotto (Eng. Agrônomo pela ESALQ e sócio-diretor da Tratto Consultoria)

“Uma fazenda é uma empresa. Os pilares de gestão envolvem a estratégia do negócio, o ambiente financeiro, a gestão das pessoas, os aspectos jurídicos e por fim a sucessão – tudo isso, num modelo de governança, que nada mais é do que a criação de regras e controles. A hora que envolve o patrimônio familiar, essas pessoas (sucessores), mesmo de fora, têm que ser chamadas para algumas ações envolvendo falar do caminho que está sendo buscado pelo negócio, porque essas pessoas um dia serão sócias”.

Uso Sustentável de Dejetos Bovinos

Jorge de Lucas Junior (Eng. Agrônomo e professor doutor da UNESP/Jaboticabal)

“Na realidade, produzir boi é entrar no ciclo do carbono. Pegar radiação solar e, na fotossíntese, agregar carbono, energia. E um dia isso voltará ao pó, ao CO2. Julgo fundamental que, ao se estabelecer um projeto, se implante este projeto em uso compatível com os recursos naturais. Hoje, temos vários sistemas que vão até a injeção de energia na rede. Não só o uso sustentável do dejeto como adubo, ou geração de energia, na propriedade, mas alguns confinamentos com injeção na rede”.

Bovinocultura de Corte Profissional

Lucas Farias Oliveira (Eng. Agrônomo – Gerente Técnico Nacional de Gado de Corte – DSM/Tortuga)

“Hoje, aproximadamente 20% das fazendas fecham no vermelho. As margens vêm diminuindo ao longo dos anos e a exigência por profissionalismo vem aumentando cada dia mais. Em que consiste o profissionalismo? Consiste em você ter bons índices da fazenda. As fazendas de sucesso são bem características: o dono está dentro do negócio e as pessoas que trabalham com ele têm atitude de dono. Então não é o olho do dono, mas é o olho de dono que engorda a boiada. A gestão do todo é que faz o negócio virar profissional”.  

Case Cooperaliança – Histórico de Avaliação de Pontos Críticos na Confecção da Silagem de Milho

Mikael Neumann (Eng. Agrônomo e professor doutor da UNICENTRO/Guarapuava-Campus Cedeteg)

“Um ruminante tem que mastigar o seu alimento tanto para ter uma melhor digestão quanto para a produção de saliva, que é o que mantém o ambiente estável, no rúmen, gera uma melhor degradação dos alimentos e disponibilização dos nutrientes. Quando há a entrada de máquinas que tiram a silagem do silo, que misturam os ingredientes, muitas vezes elas acabam destruindo o perfil físico da silagem e diminui esta fibra longa, o que leva a uma menor produção de saliva e há uma desestabilização do PH ruminal”.

Dia de Campo

Após o Ciclo de Palestras, a Cooperaliança realizou, dia 12, em Pinhão (PR), um Dia de Campo. Em duas propriedade, a nutrição na bovinocultura de corte esteve no centro dos debates.

Rodolfo Carletto – Agrônomo da Cooperaliança

“A mensagem principal foi a respeito do planejamento forrageiro, pensando que cada propriedade é diferente e que, nas condições climáticas, cada ano é diferente. O produtor deve se munir de opções para tentar não ter oscilações de produtividade. Todos os cooperados podem entrar em contato comigo no momento de realizar este planejamento”. 

 

Marina Azevedo – Gerente do Projeto Bovinos da Cooperaliança

“Foram muito positivos estes nossos dois eventos. Tivemos uma grande participação. Chegamos a um público de quase 200 pessoas no ciclo de palestras. No dia de campo, passamos de 100 participantes. Conseguimos o objetivo de trazer boa parte de nossos cooperados, convidados, visitantes. Queremos, a cada ano, trazer mais informações e inovações”.

 

Reinaldo Salvador – Vice-presidente da Associação Brasileira de Angus

“Acompanhamos a Cooperaliança há cinco anos, quando esta parceria foi formalizada, entre o Programa Carne Angus e a cooperativa. Temos a grata satisfação de dizer que acompanhamos toda a evolução deste processo desde o seu início. Vimos o crescimento da cooperativa em termos de associados, acompanhamos a qualificação destes produtores rurais.”

--------------------------

Concurso Carcaça Angus Cooperaliança

A Cooperaliança realizou, dia 12 de

Galeria de Fotos

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Microgeo 2