Site de notícias vinculado ao Sindicato Rural de Guarapuava

Grupo Pitangueiras

Quarta-feira, 28 de junho de 2017

Adubação biológica na sanidade vegetal

Maria Stefânia Cruanhes D’Andréa-Kühl MSc e analista de Pesquisa e Desenvolvimento da Microgeo®

O Microgeo® é um produto biológico constituído de microrganismos, nutrientes e fitormônios que proporciona além de benefícios físicos, químicos e biológicos ao solo, o desenvolvimento da sanidade vegetal garantindo a produtividade da cultura.

O aumento da biodiversidade microbiana do solo, promovido pelo uso da Adubação Biológica Microgeo®, permite a supressão de pragas e doenças por meio dos mecanismos de competição por sítios de colonização, reação de defesa da planta pela colonização micorrízica e melhora do estado nutricional do vegetal (Marschner, 2012), garantindo a sanidade da cultura por meio de seu equilíbrio metabólico.

Além disso, quando em pulverização foliar, Microgeo® ativa a indução de resistência vegetal. A adubação biológica é uma importante ferramenta que, integrada no manejo agrícola (MIP), atua de forma sinérgica quando aplicada em conjunto com os demais defensivos biológicos e químicos.

 

Recomendações

O adubo biológico pode ser aplicado no solo nas dosagens de 150 ou 300 L/ha, de acordo com a cultura. Neste caso, ele atua na supressão de doenças e nematoides, garantindo maior eficiência radicular e produtividade da cultura. Em um ensaio instalado na Fundação MT, em Rondonópolis (MT), no cultivo de soja, o adubo biológico promoveu maior produtividade em solo com presença de nematoides, atingindo com significância estatística de 4,5 sacas a mais do grão (da Silva, 2014).

Além da aplicação ao solo, a Adubação Biológica pode ser realizada via foliar. As doses recomendadas variam de 0,5 a 1% para hortaliças e flores e de 3 a 5% para as demais culturas. As aplicações devem ocorrer de três a quatro vezes ao longo do ciclo da cultura, podendo ser aplicado em conjunto com os defensivos.

Sua ação foliar é na indução de resistência vegetal, caracterizada pela ativação dos sistemas de defesa da planta. A indução de resistência ocorre quando a planta passa a produzir as fitoalexinas e proteínas relacionadas a patogêneses – PRP´s, que são compostos capazes de diminuir ou impedir o desenvolvimento de agentes patogênicos.

Pesquisas

O trabalho desenvolvido por Schwan-Estrada et al. (2016, UEM) comprovou que doses foliares do Adubo Biológico Microgeo®, variando de 0,5 a 5%, garantiu por até cinco dias a produção de PRP´s (peroxidases, catalase,β1,3-glucanase e polifenoloxidase) e de fitoalexina (gliceolina). Portanto, aplicações foliares do produto garantem a proteção desde doenças fúngicas, insetos e ácaros.

Em um ensaio desenvolvido por Medeiros (2002, ESALQ) avaliando a oviposição do ácaro Brevipalpus phoenicis, receberam Microgeo® como tratamento as folhas de feijão que não continham ácaros. A mortalidade do ácaro nas plantas Testemunhas foi de apenas 28%, enquanto nas plantas com Microgeo® foi de 39%, sendo 15,3% maior que a Testemunha.

Outro trabalho realizado por Berzaghi et al. (2001, ESALQ) no qual ácaros rajados (Tetranychus urticae) foram submetidos a pulverização do Adubo Biológico em diferentes concentrações, verificou-se uma diminuição linear na fecundidade do ácaro com o aumento da concentração do Adubo Biológico, chegando a 88% de redução do número médio de ovos por fêmea.

Estes resultados evidenciam o efeito da indução de resistência vegetal, causando efeito deletério sobre os ácaros.

A biotecnologia Microgeo® somada a engenharia genética aplicada na resistência das variedades das culturas atuais e ao uso racional de defensivos garante a sanidade do sistema produtivo de forma sustentável.

Comentários

Todos os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Você pode denunciar algo que viole os termos de uso.


Grupo Pitangueiras